Veículos com GNV: veja dicas para evitar riscos de acidente

Explosão em carro que abastecia no Rio deixou um idoso morto e uma mulher ferida.

Lido 84 vezes

Na última terça-feira (26), a explosão de um carro enquanto abastecia seu cilindro de gás natural veicular (GNV), em um posto na Zona Norte do Rio, deixou um idoso morto e uma mulher ferida. Mário Magalhães da Penha, 67 anos, chegou a ser levado para o hospital, foi submetido à cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos.

Imagens de câmera de segurança do posto de gasolina localizado na Rua Vinte e Quatro de Maio, no Meier, mostram o momento da explosão. O acidente ocorreu logo depois que o motorista abriu o porta-malas do veículo.

Saiba como prevenir explosões e outros acidentes durante o abastecimento de veículos que utilizam o GNV:

Sair do carro e, se possível, abrir o capô e o porta-malas;
desligar o motor, luzes e aparelho de som;
o frentista deve conectar o dispositivo de aterramento da bomba do posto no carro, antes de o abastecimento começar;
e a pressão máxima de GNV oferecida pelo posto deve ser de 220 quilogramasforça por centímetro - um limite de segurança determinado pela ANP.
Segundo Henrique Schneider, representante da Associação dos Organismos de Inspeção Veicular do Rio de Janeiro (Assinsp), além dos cuidados para manter o equipamento de GNV em dia, é preciso ter fiscalização.

O especialista alerta para a importância de só instalar equipamentos de GNV em empresas certificadas pelo Inmetro. Para Henrique, é fundamental manter a inspeção anual em dia, para avaliar possíveis riscos de rompimento do cilindro.

A gente vai avaliando se houve alguma perda na segurança. Olha se o cilindro começou a apresentar algum defeito, ou tem algum caroço, alguma coisa que possa comprometer a segurança do veículo. Ou a gente condena e pede para fazer algum ajuste ou manda pra requalificação porque eles têm mais ferramentas para poder fazer um teste, explicou Henrique Schneider.

60% dos carros irregulares, segundo especialista
Desde setembro de 2021, uma lei municipal no Rio proíbe que os postos abasteçam com GNV os carros que não apresentem o selo do inmetro.

Segundo o representante da Associação dos Organismos de Inspeção Veicular do Rio de Janeiro (Assinsp), cerca de 60% dos veículos com GNV no Rio estão irregulares.

Infelizmente a gente tem feito um levantamento e cerca de 60% dos veículos estão irregulares, disse.
A gente tem um aplicativo que a gente consegue fazer a consulta durante o abastecimento pra saber se o documento está em dia. Cerca de 40% estão com o documento em dia. Outros 40% estão com a vistoria vencida, e outros 20% sequer levaram ao Inmetro pra fazer aquela inspeção inicial. Isso é muito grave, comentou Henrique.

O que dizem os envolvidos
A ANP informou que fiscaliza as instalações dos postos de combustível e que está acompanhando o caso que ocorreu no posto de gasolina do Méier.

Foram conferir no Detran para saber como é feita a fiscalização dos carros com cilindros de gás. O órgão respondeu que essa responsabilidade é do Inmetro.
Compartilhe
- Parceiros/Conveniados -


Comente